Lisboa e o Tejo

“E vós, Tágides minhas, pois criado
Tendes em mim um novo engenho ardente,
Se sempre em verso humilde celebrado
Foi de mim vosso rio alegremente,
Dai-me agora um som alto e sublimado,
Um estilo grandíloquo e corrente,
Porque de vossas águas, Febo ordene
Que não tenham inveja às de Hipoerene.” 

“Os Lusíadas” de Luís Vaz de Camões, Canto I, Estrofe 4

O rio Tejo tem mil quilómetros de histórias para contar. É o maior rio ibérico e foi testemunha e protagonista de episódios marcantes e cruciais da História de Portugal. Nasce em Espanha – onde é conhecido como Tajo – a 1 593 m de altitude na serra de Albarracín, e desagua no oceano Atlântico, banhando Lisboa, após um percurso de cerca de 1 007 km. Foi o rio Tejo que criou Lisboa, rodeado de fábulas e mistérios. Acolheu os primeiros agricultores, viu chegar os marinheiros fenícios, os romanos e foi fundamental para a conquista de Lisboa por D. Afonso Henriques.

O Tejo foi o rio português que nos presenteou com maior variedade e riqueza náutica, desde Vila Velha de Ródão até à sua foz. As suas águas assistiram a grandes e sangrentas batalhas navais, revoltas e atentados – nomeadamente em 1910, quando da queda da monarquia, ou na revolução dos Cravos. Da foz do Tejo partiram as naus e as caravelas dos descobrimentos portugueses e, em 1755 uma onda gigante subiu o rio e inundou Lisboa e outras localidades na margem. Todos os anos no porto de Lisboa, atracam centenas de paquetes de luxo, principalmente na doca de Alcântara. No seu estuário existe uma reserva ecológica (Reserva Natural do Estuário do Tejo, com sede em Alcochete) onde nidificam várias espécies de aves. Devido à grande poluição do rio deixaram de existir golfinhos de forma permanente, mas nos últimos anos durante o Verão têm aparecido exemplares, que após uma boa pescaria retornam ao mar.

Em Lisboa o rio Tejo é atravessado por duas pontes. A mais antiga é a Ponte 25 de Abril (inaugurada em 1966, então Ponte Salazar), uma das maiores pontes suspensas da Europa, e que liga a capital de Portugal a Almada. A outra é a Ponte Vasco da Gama, de cerca de 17 km de comprimento. Foi inaugurada em 1998 e liga Lisboa (Sacavém) a Alcochete e Montijo. O local mais largo deste rio chama-se Mar da Palha e fica entre Lisboa, Vila Franca de Xira e Benavente.

 

in Luis Ribeiro (Novembro 2012). Histórias do rio Tejo. Ed: A esfera dos Livros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

16 − 7 =